quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Cinquentenário do Conselho Estadual de Cultura


Publicado originalmente no site da SECULT, em 15 de agosto de 2017.

Cinquentenário do Conselho Estadual de Cultura será marcado por entrega de medalhas

O evento contará ainda com apresentações artística e concerto da Orsse

Criado através da Lei nº. 1478, de 16 de agosto de 1967, o Conselho Estadual de Cultura completa 50 anos de história nesta quarta-feira, com uma homenagem especial. A celebração, promovida pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult), acontecerá a partir das 19h30, no Teatro Tobias Barreto, a entrega de Medalhas Comemorativas aos conselheiros e um concerto especial da Orquestra Sinfônica de Sergipe (Orsse).

“É uma alegria enorme estar comemorando os cinquenta anos do Conselho, que é o reduto de defesa da nossa cultura, representativo em tudo o que nós fazemos na gestão da Secult. Pelo Conselho passaram pessoas que deram suas vidas, para as artes e outros setores da cultura Sergipana, por isso é preciso celebrá-lo e homenageá-lo”, afirmou o secretário da Cultura, João Augusto Gama.

Entre os marcos do Conselho estão a criação do Encontro Cultural de Laranjeiras e Encontro Cultural de Estância, a defesa do acervo cultural do Estado, estudando os respectivos processos de tombamento e encaminhando providências objetivando a sua preservação. A entidade também é responsável pela organização do calendário Cultural de Sergipe, integrando-o com instituições culturais públicas e privadas e coordenando as comemorações das efemérides mais importantes.

A programação contará ainda com a participação da conselheira e bailarina, Cecilia Cavalcante, que fará uma apresentação de dança; do mestre e conselheiro, Zé Rolinha, com a Chegança Almirante Tamandaré; e de uma atração musical com os conselheiros, maestro Sergio Chagas, Antônio Amaral e Neu Fontes. Toda atividade será aberta ao público e convidados.

Histórico

O Conselho Estadual de Cultura surgiu pela lei nº. 1478, sancionada pelo Governador Lourival Batista. Espelhava-se na legislação federal que criara o Conselho Federal de Cultura, implantado em 1965 pelo Presidente Castelo Branco. O Conselho Federal estimulou as autoridades estaduais criarem congêneres nos Estados de modo a constituir uma rede integrada de órgãos que, articulados entre si, objetivava contribuir para o planejamento de ações na área da Cultura.

Instalado solenemente pelo Governador do Estado, Lourival Batista, com a posse de seus primeiros integrantes, todos de livre escolha do Chefe do Executivo Estadual, passou a organizar-se administrativamente e discutir ações na sua área de competência. Entretanto, problemas decorrentes da incompatibilidade constitucional entre as atividades de que eram titulares os primeiros Conselheiros e sua função no Conselho, fizeram com que o Colegiado encerrasse suas reuniões.

Serviço:
50 anos do Conselho Estadual de Cultura
Data: 16 de agosto de 2017
Horário: 19h30
Local: Teatro Tobias Barreto.

Texto e imagem reproduzidos  do site: cultura.se.gov.br

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Aracaju recebe 'Os Cavaleiros da Triste Figura'

O espetáculo vai acontecer dia 15 de agosto às 16h.
Foto: Pritty Reis.

Publicado originalmente no Portal Infonet, em 14/08/2017.

Aracaju recebe 'Os Cavaleiros da Triste Figura'

O espetáculo vai acontecer dia 15 de agosto às 16h

Aracaju recebe o espetáculo Os cavaleiros da triste figura dentro da programação da Aldeia SESC. O espetáculo vai acontecer dia 15 de agosto às 16h na Pça Fausto Cardoso. O espetáculo Os cavaleiros da triste figura é o resultado do encontro cênico do Grupo Boca de Cena, e seus colaboradores, com a literatura de Miguel de Cervantes. Livremente inspirado em Dom Quixote de la Mancha, a história que pretende-se retratar extrapola a literatura e se contamina por toda a realidade circundante, em forma d e sonho (ou delírio).

Neste Dom Quixote, denominado Os cavaleiros da triste figura, um grupo de atuadores, em praça púbica, insiste em instaurar suas histórias. Desfazendo-se e reinventando-se a cada golpe, permeados por loucuras e delírios, alimentam um desejo excêntrico, cada vez mais desacreditado: transformar o mundo!

Sobre o Grupo

Originário de Aracaju, Sergipe, fruto do Projeto Artístico e Cultural “Nosso Palco é a Rua”, (SE) realizado em 2005, o Grupo Teatral Boca de Cena surgiu com o intuito de partilha de valores e conhecimentos apreendidos principalmente às classes populares mais desfavorecidas do acesso pleno à arte e à cultura em sua diversidade-plural. Ao longo de sua trajetória, se consolida como um agente transformador e promotor de ações culturais no Estado de Sergipe, partilhando deste universo de cultura popular e provocando reflexões e ações frente à realidade social brasileira, na dimensão específica de questões de cidadania e direitos humanos pela decisão e escolha de seus temas. Assim, estabelece um diálogo com seu público – centralmente demarcado por encenações no formato “teatro de arena” em contexto escolares e comunitários, isto é, praças e escolas públicas – e contribui para a disseminação de saberes artísticos e cidadania cultural – utilizando principalmente o gênero e o estilo tragicômico no desenvolvimento de sua pesquisa de linguagem.

O Grupo Boca de Cena é formado por graduados e graduandos em Teatro originários da Universidade Federal de Sergipe. Atualmente o grupo possui sede própria no Conjunto Bugio, onde desenvolve e partilha integralmente suas atividades sociais e culturais. Desde 2005 já montou mais de 9 espetáculos e realizou inúmeros projetos sociais e artísticos, tais como: Projeto de intercâmbios e interações estéticas recebendo vários grupos de teatro locais e nacionais. Ofertou à comunidade do “Bugio” e  seus arredores vários cursos e oficinas de cidadania e práticas artísticas-culturais. Nos anos de 2014/2015 realizou o primeiro festival - Blitz Cultural - de arte na comunidade do “Bugio” com intervenções de espetáculos artísticos, oficinas envolvendo produções nacionais e locais. Já participou de festivais importantes no cenário brasileiro, tais como: O FEST (SE), FRINGE (PR), FIT (BA), Mostra SESC – Cariri (CE) / (SE). O Grupo é um Ponto de Cultura – Ponto de Cultura “Boca de Cena na Rua”- uma iniciativa da sociedade civil do Ministério da Cultura (Minc) e da Secretaria do Estado da Cultura (Secult). Em 2014 foi contemplado com prêmio FUNARTE de Arte Negra realizando a montagem do espetáculo “Como Nasce Um Santo” abordando questões e situações relacionadas com a aplicação da Lei 10.639/2003 sobre o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana no âmbito das redes de ensino. Em suas produções, o Boca de Cena se dedica explicitamente a provocar reflexões críticas sobre a realidade social e cultural brasileira, produzindo uma arte que seja acessível e comunicável à população, afirmando-se assim, como um vetor de transformação social e de criação e fomento de um círculo de trocas e experiências no contexto cultural local/regional, sergipana, nordestina e brasileira.

Ficha técnica e artística do espetáculo

Realização: grupo teatral Boca de Cena (se)
Produção geral – Rogério Alves
Texto: César Ferrario (rn)
Direção: fernando yamomoto (rn)
Direção de elenco: Paula Queiros (rn)
Direção de arte ( figurino/adereços/ cenário): João Marcelino (rn)
Preparação vocal: Babaya Morais (mg)
Direção musical: Thayres Dyniz (se)
Preparação corporal – Helder Vasconcelos (re)
Consultoria em comedia dell’art –esio magalhães (sp)
Consultoria em  literatura espanhola – obra dom quixote 
- Célia Navarro Flores ( se-sp)
Trilha original ( dulcinéia) – peri pane (sp)
Consultoria histórica  - Adriana Damasceno (se)
Produção executiva – patrícia brunet
Atores:Felipe Mascarello, Gustavo Floriano, Rogério Alves, e Thayres Dyniz

Fonte: assessoria do espetáculo

Texto e imagem reproduzidos do site: infonet.com.br

Produção de brigadeiro gourmet é opção de renda extra

 Turma do curso de Brigadeiro Gourmet que
 aconteceu na UQP do Santos Dumont.


 A aluna Letícia Agripina, de 18 anos.

A aluna Rita de Cássia, 48 anos
Fotos: Ascom/Fundat

Publicado originalmente no site da PMA, em 14/08/2017.

Produção de brigadeiro gourmet é opção de renda extra

A expressão gourmet vem sendo bastante utilizada no mundo da gastronomia. Trata-se de um estilo de culinária mais aprimorada e requintada, que inclui desde os pratos tradicionais até os mais populares, como hambúrgueres, coxinhas e brigadeiros. Atenta ao segmento e disposta a oferecer oportunidades de aprendizado nesta área, a Fundação Municipal de Formação para o Trabalho (Fundat) proporcionou no mês de agosto, a segunda turma do curso de Brigadeiro Gourmet (8h), realizado no mês de agosto na Unidade de Qualificação Profissional (UQP), situada no bairro Santos Dumont.

Segundo o instrutor do curso, Brayan Oliveira, os alunos foram colaborativos e conseguiram trabalhar na produção de vários tipos de brigadeiro gourmet. "Fizemos brigadeiro de café, palha italiana, castanha, baba de moça, leite ninho. Não houve apenas demonstração, eles realmente colocaram a mão na massa e puderam perceber o ponto certo do doce, além da experiência de sentir o aroma e saborear cada um deles", afirma o instrutor, ressaltando a satisfação e a responsabilidade de instruí-los em direção a uma possibilidade de caminho profissional.

"O nosso papel é esse: capacitá-los em uma atividade que possa fazê-los obter sucesso no mercado de trabalho ou como empreendedores", afirma o instrutor, parabenizando a Prefeitura de Aracaju pelo apoio e iniciativa de ofertar cursos de capacitação gratuitamente. "Não tem coisa melhor do que ver o brilho nos olhos de cada um dos participantes", conclui.

Mudando perspectiva

A vida de Rita de Cássia, 48, mudou completamente após iniciar as capacitações na Fundat. Através do conhecimento e do convívio em sala de aula, ela encontrou uma nova perspectiva para viver e conseguiu superar a depressão. "Aqui eu me levantei e me encontrei, eu precisava desse ânimo de novo, só tenho a agradecer, eu não sabia por onde começar", expressa a aluna que anteriormente havia feito o curso de Doces e Salgados.

"Eu estava com vontade de aprender. Cada proposta que o professor colocava, vinha em mim um sonho, uma luz, uma ideia de onde eu poderia começar. Foi proveitoso e prazeroso para mim, desde a forminha até o brigadeiro", conta Rita, enfatizando o empenho do instrutor durante as aulas.

Hoje, ela obtém uma renda complementar graças às encomendas de doces que recebe. "Neste curso, aprendi detalhes que me ajudaram na parte econômica das produções", diz a participante, que também comercializa de porta em porta e sonha em abrir o próprio negócio.

Antes de aprender brigadeiro gourmet, a estudante de Educação Física, Letícia Agripina, 18, já fazia trufas para manter o atletismo, esporte que praticava. Agora, ela deseja ampliar o foco das vendas, transformando-as em uma alternativa de trabalho. "Amei, nós podemos criar o nosso próprio sabor de brigadeiro porque há uma variedade, abriu o meu olhar para o ramo de doces, adquiri habilidade e criatividade" comenta.

Texto e imagens reproduzidos do site: aracaju.se.gov.br

Lucas Campelo é a próxima atração do ‘Quinta Instrumental’

O evento acontece todas as quintas-feiras, às 19h,
com entrada gratuita no Centro Cultural de Aracaju 
(antiga Alfândega)

Publicado originalmente no site da PMA, em 14/08/2017.

Lucas Campelo é a próxima atração do ‘Quinta Instrumental’

Os apreciadores da boa música já têm um compromisso agendado para a próxima quinta-feira, 17: a Quinta Instrumental. Quem promete agradar desta vez é o músico Lucas Campelo, que levará para o Teatro João Costa, no Centro Cultural, um show com músicas populares que marcaram gerações. O projeto, promovido pela Prefeitura Municipal de Aracaju, através da Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), acontece toda quinta no Centro Cultural às 19h.

Na primeira edição do projeto, o guitarrista Fred Andrade encantou com as cordas de sua guitarra e de seu violão. Nesta segunda noite do projeto, Lucas Campelo vai apresentar o show “Raízes do Brasil”, com um apanhado de estilos musicais conduzidos pela sanfona. De acordo com Lucas, essa é uma forma de mostrar as possibilidades que o instrumento pode proporcionar. “Esse show é muito especial. Quero mostrar o poder da sanfona através da sua versatilidade. Tenho certeza que a galera vai gostar muito da apresentação. Foi algo preparado com muito carinho”, disse. O evento tem entrada gratuita.

Lucas Campelo

Natural de Aracaju (Sergipe), Lucas Campelo é graduado no curso de Licenciatura em Música e mestre em Educação Musical pela Universidade Federal da Bahia, com o projeto intitulado de “O Processo de Aprendizagem Musical de Dominguinhos na Prática Da Sanfona”. Como uma trajetória profissional de músico e sanfoneiro, Lucas participou de alguns grupos musicais como a Banda Forrodibuteco (2015), Xote Baião (2015), e Orquestra Sanfônica de Aracaju (2015/2016). Participou da gravação do DVD da Casaca de Couro (2016), Bob Lelis e o Forró Gozado (2016), Joseane de Josa (2016), Thiago Ruas (2016), e Crav&Roza (2016). Com seu trabalho homônimo, se apresentou no Forró Caju de 2013 até 2016.

Texto e imagem reproduzidos do site: aracaju.se.gov.br

Homenagem ao médico José Hamilton Maciel Silva.





Fotos: Janaína Santos/PMA.

Publicado originalmente no site da PMA, em 14/08/2017.

Edvaldo participa de homenagem ao médico José Hamilton Maciel Silva.

O prefeito Edvaldo Nogueira acompanhou, nesta segunda-feira (14), a sessão especial de entrega da medalha da Ordem do Mérito Parlamentar ao médico José Hamilton Maciel Silva, realizada pela Assembleia Legislativa. A solenidade reuniu autoridades, como o governador Jackson Barreto e o ex-governador Albano Franco, além de parlamentares, magistrados, médicos, secretários estaduais e municipais, familiares e amigos.

"José Hamilton é uma pessoa maravilhosa. Eu o conheci ainda na infância, na cidade onde nascemos, em Pão de Açúcar. Ele foi meu professor de Medicina Legal, na Universidade Federal de Sergipe. É um talentoso médico, um psiquiatra destacado, que conseguiu montar um serviço de Psiquiatria avançado. Além disso, é um homem culto, um ser humano incrível, que merece todas as honrarias. Ele fez muito por nosso Estado e por nosso país. Sou um admirador do trabalho dele. Além disso, ele nos inspira sempre, pois é um otimista com a vida, um homem ético, conhecer da história. Esta é uma homenagem justa", afirmou Edvaldo.

Em seu discurso, José Hamilton agradeceu o recebimento da medalha do Mérito Parlamentar. "Este momento me emociona e me inquieta. Me dá prazer e me traz muitas recordações", disse ele, citando seus pais e um de seus filhos - já falecidos. "Queria que aqui estivessem para abraça-los", afirmou. Ele estendeu ainda sua gratidão aos presentes à homenagem. "Meus agradecimentos vão para todos que me fizeram chegar até aqui. Minhas palavras são sempre de saudades e de agradecimentos, a Deus e aos meus familiares, inspiradores da minha vida, também aos amigos. Agradeço aos meus pacientes assegurando-lhes que tudo fiz em benefício deles, dentro dos limites da minha competência. Sou grato ainda aos meus colegas médicos pela oportunidade de dirigir nossas entidades, agradeço aos que trabalham na clínica São Marcelo, a realização de um sonho desde adolescente", completou.

Para o autor da propositura de concessão da honraria, deputado estadual Luciano Pimentel, o médico José Hamilton é um "único homem com uma quantidade enorme de figuras humanas marcantes". "É um agregador, um homem que transita bem em todo o segmento da sociedade e é mais do que justo que ele receba a honraria dessa casa”, destacou. Em seu discurso, ele elencou momentos da trajetória pessoal e profissional do homenageado, destacando a importância do pioneirismo na fundação da Clínica São Marcelo, voltada para pacientes psiquiátricos.

Nascido em Pão de Açúcar (AL), em 22 de outubro de 1940, José Hamilton Maciel Silva é filho de Milton Gonzaga da Silva e Albertina Maciel da Silva. Formou-se em Odontologia no ano de 1964 e em Medicina em 1971 pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Está em Sergipe há 42 anos. Tem especialização em Psiquiatria, é professor da Universidade Federal de Sergipe. Foi secretário estadual da Saúde. É o fundador da clínica São Marcelo. Presidiu a Sociedade Médica de Sergipe e o Conselho Regional de Medicina.

Texto e imagens reproduzidos do site: aracaju.se.gov.br

domingo, 13 de agosto de 2017

Dia dos Pais é celebrado com momento de integração e promoção à saúde

 Rafael Alexandre é pai da pequena Rafaela.

 Juliano garante que não há nada melhor
 que o sorriso da filha.


 Wellington, aos 53 anos, já tem nove netos.



Fotos: Ana Lícia Menezes.

Publicado originalmente no site da PMA, em 13/08/2017. 

Dia dos Pais é celebrado com momento de integração e promoção à saúde

Quando os pais chegaram à Escola Municipal de Ensino Infantil (Emei) Fernando Guedes, localizada no bairro América e mantida pela Secretaria Municipal da Educação (Semed),foram surpreendidos com um cenário dedicado a eles. Na parede, rabiscos e colagens feitos pelas crianças para demonstrar o amor que elas têm pelo chefe da família. A iniciativa foi uma forma de celebrar o Dia dos Pais, comemorado neste domingo, 13. Várias atividades pedagógicas foram realizadas com o intuito de aproximar o pai da instituição de ensino.

O vigilante Rafael Alexandre dos Santos é pai da pequena Laura Rebeca Dias. Segundo ele, está sempre presente no dia a dia da filha e faz questão de participar das atividades escolares.  Foi uma tarde de alegria e muito amor. "Esse dia é especial. É tudo de bom. É uma satisfação estar aqui com minha filha e com outros pais também. Ser pai é uma coisa maravilhosa, é diferente de tudo o que eu já senti na vida", afirmou.

A felicidade também estava estampada no rosto de Juliano Pereira.  A filha dele, Wellen Beatriz Oliveira, tem quatro anos de idade e começou a frequentar a creche este ano.  No momento, ele está desempregado, mas disse que mesmo se estivesse com alguma ocupação, faria o possível para estar com a filha na tarde de hoje. "Não tem coisa mais gratificante de que estar aqui com ela. Minha filha é tudo. Ela mudou minha vida. Quando olho o sorriso dela me derreto todo", disse.

Esse envolvimento dos pais no cotidiano pedagógico dos filhos é de extrema importância para o desenvolvimento da criança. De acordo com a diretora da Emei, Kátia Siene Santos Dias, a creche teve o cuidado de organizar a confraternização, enfatizando a família.  "Nós fizemos um levantamento e constatamos que algumas crianças não moram com o pai. Já outras, só têm contato com o pai no fim de semana. É uma minoria, mas temos crianças nessa situação. Algumas não têm mais esse pai perto, pois ele faleceu. Então, tivemos a ideia de convidar o pai, o tio ou o avô que cuida desse menino ou dessa menina", explicou.

Além das atividades pedagógicas, os pais participaram de um bate-papo com o médico especialista em Clínica Médica e Saúde da Família, Felipe Silveira dos Anjos. Ele falou da necessidade que o pai tem de se cuidar, para poder cuidar do filho. "O aproveitamento desse espaço para tentar aproximar os pais da realidade, de que ele precisa ir ao médico, de que ele precisa fazer exames periódicos, para poder cuidar devidamente do filho, é importante. Alguns trabalhos mostram que os homens tendem a não se cuidar por diversos fatores, justificados ou não pelas atividades cotidianas. Isso não pode acontecer, nós temos que nos cuidar", colocou.

O avô de Reinan Gabriel, Wellington dos Santos, ouviu atentamente as orientações do médico. O mecânico contou que conversa muito com a família sobre a saúde de todos e está sempre cobrando exames e consultas para evitar problemas futuros. "Eu tenho esse cuidado com meus filhos e meus netos. Agradeço a Deus que sou avô de nove netos, aos 53 anos de idade. O Reinan é meu xodó. Os pais não puderam vir, daí eu fiz questão de participar da festinha", ressaltou.

Texto e imagens reproduzidos do site: aracaju.se.gov.br

sábado, 12 de agosto de 2017

Reforma e ampliação do tradicional Colégio Estadual Atheneu Sergipense

Imagem ilustra o Colégio Atheneu revitalizado.

Publicado originalmente no site do Jornal da Cidade, em 11/08/2017

Reforma do Atheneu Sergipense é orçada em R$ 6,8 milhões

O prazo de execução é de 365 dias

A empresa ARS Construção e Empreendimento do Brasil LTDA - EPP será a responsável pela reforma e ampliação do tradicional colégio estadual Atheneu Sergipense. O prazo de finalização do processo licitatório foi cumprido antes do previsto, obedecendo ao cronograma previsto pela Companhia Estadual de Habitação e Obras Públicas (Cehop), órgão responsável pela licitação. O cronograma foi amplamente divulgado desde o mês de maio, quando se iniciou o processo. O prazo de execução é de 365 dias.

Orçada em R$ 6,8 milhões, as obras e os serviços de melhorias levam em consideração reivindicações da comunidade escolar e da sociedade sergipana. O governador Jackson Barreto resolveu iniciar o processo com recursos próprios, após o governo federal não acenar com perspectivas concretas de parceria. “O Atheneu é um símbolo da nossa história e da nossa sergipanidade que precisamos preservar. Lá estudou diversas gerações de grandes personalidades do nosso estado. Vamos entregá-lo totalmente revitalizado para o nosso povo”, afirmou o governador, lembrando que foi aluno da Instituição.

“Essa vultosa obra reafirma o compromisso do governo estadual com a melhoria da qualidade do ensino público ofertado à sociedade sergipana, e, com esse projeto de reforma, o Atheneu Sergipense será um dos colégios mais modernos da rede pública do Brasil, beneficiando mais de dois mil estudantes. O resultado final da licitação e início das obras mostram que temos compromisso com a educação de Sergipe. O Atheneu continuará sendo uma referência na Educação", afirmou o secretário de Educação, Jorge Carvalho.

Quem comemora a notícia é o diretor do colégio, Daniel Lemos.  "Depois de dois anos de muita luta, em que a secretaria de Educação empreendeu esse grande desafio em reformar o nosso Atheneu, comemoramos o atendimento de um pleito de toda a sociedade sergipana", pontuou ao acrescentar que esse monumento histórico guarda não só a memória Educacional de Sergipe, mas todo o legado cultural que envolve diversas gerações de intelectuais da nossa sociedade. "Acreditamos que estamos no caminho da reconstrução não só de prédio, mas também da gestão educacional do nosso estado", disse.

Modernização

A reforma e ampliação do Atheneu Sergipense possibilitará a recuperação de toda a estrutura metálica da quadra poliesportiva, do refeitório, da sala de dança e do grêmio, bem como do auditório. Toda a cobertura do colégio será revisada, assim como as esquadrias de madeira e os cobogós.

Com a conclusão da obra, o prédio passará a atender as normas técnicas de acessibilidade e contará com elevador, novas rampas de acesso, além de mapa, pisos táteis e banheiros adaptados. O colégio receberá uma nova pavimentação interna em piso de alta resistência. Todas as salas de aula serão climatizadas e os quadros verdes serão substituídos por quadros de fórmica branca, sendo que em toda a estrutura do prédio será feita uma pintura geral.

Texto e imagem reproduzidos do site: jornaldacidade.net

Sergipe bate recorde na safra de arroz

Sergipe bate recorde na safra de arroz.
Foto: Jorge Henrique.

Publicado originalmente no Portal Infonet, em 12/08/2017.

Sergipe bate recorde na safra de arroz

Produção registrou um aumento em 30,7% em relação a junho

O produtor rural do Baixo São Francisco está comemorando a safra recorde na produção de arroz do mês de julho. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a produção sergipana do mês de julho em relação ao mesmo mês de junho registrou um aumento em 30,7%. Quando comparado com a safra de 2016, o resultado foi ainda maior: 63,7%. Foram produzidas 54,1 mil toneladas de grãos, fruto das ações empreendidas pelo governo do Estado, em parceria com o governo federal, no desenvolvimento da agricultura familiar.

Os dados indicaram que a produção nacional de arroz (em casca) alcançou 12,3 milhões de toneladas, aumento de 16,3% em relação ao ano anterior. A área plantada e a área colhida apresentaram aumentos de 1,2% e 4,0%, respectivamente, enquanto que o rendimento médio cresceu 11,8%.  Destaques para as produções do Rio Grande do Sul, maior produtor de arroz do país, que alcançou 8,7 milhões de toneladas, aumento de 16,5% em relação ao ano anterior e do Maranhão, que alcançou 258,8 mil toneladas e cresceu cerca de 70,0%.  O estado de Sergipe não ficou atrás e conseguiu se destacar com 54,1 mil toneladas, aumento de 63,7%.

A pesquisa do IBGE relatou, também, a estimativa de julho em relação a junho de 2017. Segundo os dados, a produção de arroz alcançou 12,3 milhões de toneladas, aumento de 1,2% em relação ao mês anterior. A área plantada e a área a ser colhida aumentaram 0,3% e o rendimento médio aumentou 0,9%.

No Nordeste, a estimativa da produção alcançou 474,6 mil toneladas, aumento de 3,4% em relação ao mês anterior, com o rendimento médio aumentado 3,2%. Destaques para a produção do Maranhão, 258,8 mil toneladas, aumento de 0,4%; Ceará, 20,7 mil toneladas, aumento de 10,9% e Sergipe, 54,1 mil toneladas, aumento de 30,7%.

Segundo o secretário de Estado da Agricultura, Esmeraldo Leal, os bons índices se devem a dois fatores: aumento de área plantada e distribuição de sementes. “O aumento da área plantada e distribuição de sementes contribuíram para esse recorde na produção. As sementes que distribuímos foram muito boas, inclusive escolhidas pela própria família. Foi fundamental a qualidade da semente, porque a aumentou a produtividade, contribuindo sobremaneira para o aumento da safra”, relatou, acrescentando que a rizicultura é uma das principais atividades econômica do Baixo São Francisco. “A região é tida como de baixo Índice de Desenvolvimento Humano, (IDH), ter uma cultura tomando força é uma demonstração de que é possível, através da agricultura, melhorar e responder positivamente a esses índices econômicos”.

Esmeraldo explicou, também, que o aumento das chuvas este ano não contribuiu tanto para a produção de arroz, já que o cultivo ocorre em perímetros irrigados. “Temos um bom sistema de irrigação. O destaque é para os perímetros de Betume, Propriá e Pindoba. Além dessas importantes regiões, temos as produções de várzeas, localizadas nos municípios de Brejo Grande e Ilha das Flores, que se utilizam da vazão do Rio São Francisco”, explicou.

Sementes

Em 2016, o governo de Sergipe disponibilizou sementes e horas de trator para agricultores familiares e assentados rurais inscritos no Programa Garantia Safra das regiões do Baixo São Francisco e Médio e Alto Sertão sergipanos. A distribuição das sementes foi realizada pela secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), com a operacionalização da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro).  Na oportunidade, foram distribuídas 400 toneladas sementes, beneficiando 1.000 agricultores do Baixo São Francisco, totalizando investimento na ordem de R$ 3 milhões.

Fonte: ASN.

Texto e imagem reproduzidos do site: infonet.com.br

Adolescentes do Cenam expõem oficina de música na Alese

Onze socioeducandos foram no hall da casa legislativa.

Publicado originalmente no Portal Infonet, em 11/08/2017.

Adolescentes do Cenam expõem oficina de música na Alese

Onze socioeducandos foram aplaudidos

Onze socioeducandos acolhidos pelo Governo do Estado de Sergipe foram recebidos na tarde de ontem pela deputada estadual Ana Lúcia durante a realização de uma audiência pública no plenário da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese). Dentro do sistema sócio pedagógico desenvolvido pela Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos das Crianças e Adolescentes, os adolescentes que integram o Grupo de Percussão (Batucase) se apresentaram no hall da casa legislativa e foram aplaudidos pelo público presente. O evento teve como meta abordar o papel da juventude e suas organizações na construção da escola democrática.

Para a deputada anfitriã, a presença frequente dos jovens acolhidos pela Fundação Renascer tem contribuído para que a interação social conquiste novas abrangências de caráter positivo. Além de promover novas oportunidades aos adolescentes sentenciados que buscam em conquistar um futuro promissor e ético dentro do que pede a Constituição Federal, a inclusão da música, teatro e demais artes culturais acaba enriquecendo as programações da Frente Parlamentar. A atividade também se tornou possível em virtude de o Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe (TJ/SE), ter oficializado uma liminar autorizando a saída temporária dos músicos.

“Durante este encontro debatemos assuntos, por exemplo, como a PEC 241, que congela o investimento em áreas sociais como a Educação e Saúde, e o Movimento Escola Sem Partido, que visa censurar professores e aumentar a repressão no ambiente escolar. A partir do momento em que representantes de várias esferas da sociedade participam do diálogo, a tendência é que conquistemos avanços que beneficiem as atuais e futuras gerações. Agradeço a participação destes adolescentes e esperamos continuar gerando novas oportunidades para todos; brilhante apresentação”, declarou Ana Lúcia.

Coordenado pela direção do Centro de Atendimento ao Menor (Cenam), o grupo de percussão é conduzido musicalmente pelo pedagogo Jorge Kadu, e possui apenas dois meses de atividades. A princípio, a banda ensaiava utilizando apenas objetos reciclados como toneis, latas de tinta e baquetas de bambu. No final do mês passado, em virtude de uma parceria firmada entre a Fundação Renascer e a Secretaria de Estado da Mulher, Inclusão e Assistência Social, do Trabalho e dos Direitos Humanos (Seidh), os adolescentes receberam instrumentos musicais novos e puderam aperfeiçoar a arte da prática e cadência instrumental.

Ao todo foram doados 23 equipamentos entre repiques, caixas e surdos, além de utensílios como: baquetas e talabares. “Nos alegra muito receber convites e incentivos como estamos multiplicando ao longos dos últimos meses com a deputada Ana Lúcia Menezes e o secretário Zezinho Sobral. Um nos fornece estrutura enquanto a companheira nos ajuda a abrir novos horizontes para estes jovens. O Governo de Sergipe tem se esforçado ao máximo para que, com a prática contínua da arte, esporte e cultura possamos conquistar um mundo melhor para todos”, avaliou o presidente da Fundação Renascer Wellington Mangueira.

Fonte e foto: Fundação Renascer.

Texto e imagem reproduzidos do site: infonet.com.br

Mamulengo de Cheiroso se apresenta na Fausto Cardoso


Publicado originalmente no Portal Infonet, em 11/08/2017.

Mamulengo de Cheiroso se apresenta na Fausto Cardoso

Espetáculo homenageia Clemilda

O grupo de teatro de bonecos, Mamulengo de Cheiroso apresenta nesta segunda-feira, 14, “Talco no salão, pro forró ficar cheiroso”, às 16h, na Praça Fausto Cardoso. O espetáculo será apresentado gratuitamente para a população aracajuana dentro do projeto Aldeias.

A iniciativa do Sesc tem como objetivo estimular a produção e o consumo dos bens culturais. O Aldeias irá oferecer espetáculos gratuitos para todas as faixas etárias e realizar uma vasta programação.

Para compor “Talco no salão, pro forró ficar cheiroso”, os integrantes do Mamulengo de Cheiroso se dedicaram a uma ampla pesquisar sobre a vida e obra dessa artista conhecedora da língua popular, legítima brincante da palavra fácil, de linguagem mambembe de duplo sentido, de música pulsante. Desde os anos de 1950, ao lado do seu marido e companheiro de estrada, Gerson Filho, Clemilda desbravou e conquistou o Brasil com a alegria do arrasta-pé.

“Talco no Salão, por forró ficar cheiroso” narra, de maneira leve, poética e divertida, uma trama inspirada na vida e obra de da forrozeira Clemilda. Para contar essa história baseada no drama popular de circo, rica de sentidos e sensações, o Mamulengo de Cheiroso leva ao palco, mais de 60 elementos cênicos, entre bonecos, adereços e cenários.

Fonte e foto: Divulgação.

Texto e imagem reproduzidos do site: infonet.com.br