domingo, 24 de maio de 2015

Exposição de Edidelson Silva

Foto: Divulgação acervo artista.

Infonet - Cultura - Noticias - 23/05/2015.

Edidelson Silva fará exposição no Tribunal de Contas
Mostra intitulada Paisagens Simbólicas acontece na sexta, 29

O artista plástico Edidelson Silva estará participando da Sexta Cultural promovida pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE) no próximo dia 29, com a Exposição ‘Paisagens Simbólicas’.

Serão exibidas várias telas do artista e chargista que tem um olhar diferenciado principalmente sobre a política e a cultura sergipana.

Também na Sexta Cultural do TCE/SE marcada para iniciar às 10h na sede do tribunal, localizado no Centro Administrativo Augusto Franco, acontecerá o relançamento do livro “Ser ou não ser médico? Os 15 segredos que você precisa conhecer sobre a carreira médica no Brasil”, de João Bourbon II.

E ainda, apresentação do Grupo Musica de Chorinho “Dom José do Ban & Seus Chorões”.

Por Aldaci de Souza.

Texto e imagem reproduzidos do site: infonet.com.br/cultura

Livro "Cama de Vento"


Infonet - Cultura - Noticias - 22/05/2015.

Dona de casa lança livro de poemas em Aracaju
O livro Cama de Vento foi lançado nesta sexta-feira, 22

Descrições poéticas que conduzem a arte literária até o enriquecimento do universo vivencial da dona de casa Ilda Rezende, de 77 anos, podem ser encontradas no livro ‘Cama de Vento’, lançado na noite desta sexta-feira, 22, na livraria Escariz, no shopping Jardins.

Natural do município de Porto da Folha, Ilda elegeu a literatura como nobre ofício da própria rotina, levando aos textos de sua autoria uma releitura de eventos corriqueiros, registros insuspeitos e fruição de vida.

“O gosto pela literatura veio ainda na infância, quando fazia anotações durante viagens e férias escolares. Outra fonte de conhecimento eram os cadernos de poesia que colecionava”, descreve a autora, que já participou de várias coletâneas e se orgulha de ter atuado em oficinas culturais coordenadas por nomes expressivos da literatura sergipana, como Iara Vieira e Maruze Reis.

‘Cama de Vento’, primeiro livro publicado por Ilda Rezende, teve seus registros iniciais concretizados durante essas oficinas e vivências em tantos outros eventos. Da infância no município de Itabi, ela que hoje é mãe de seis filhos, adquiriu curiosidade e habilidade para imprimir o lirismo em suas poesias, também caracterizadas pela simplicidade. A singular aura de aprendiz que a acompanha é a maior marca da produção literária assinada pela singela escritora, conhecedora das letras e de fatos poéticos da vida humana.

Fonte: Assessoria de Imprensa.

Texto e imagem reproduzidos do site: infonet.com.br/cultura

Música sergipana

 Amorosa.

 Patrícia Polayne.

Paulo Lobo. 

Nino Karva.

Viva sua Sergipanidade - Músicas.

Música sergipana

Até 1970 a música popular massiva sergipana praticamente não existia. Não se produzia discos e ela se limitava a alguns intérpretes dos ritmos ouvidos em todo Brasil à época: boleros, chorinhos e muita música romântica e saudosista. Os nomes que se destacaram foram: Luís Americano, que teve seu chorinho apresentado nos Estados Unidos, e Francisco Alves, conhecido em todo o Brasil. Contudo, o forró se apresentava como ritmo que atraia o gosto popular e a iniciativa artística local. Grandes nomes forrozeiros acompanharam o sucesso do ritmo levado ao país inteiro por Luiz Gonzaga, e fizeram sucesso nacionalmente representando Sergipe. Dentre eles estão Clemilda, Erivaldo de Carira e Amorosa.

As décadas de 70 e 80 foram marcadas por grandes Festivais de Música no Brasil e em Sergipe como o Festival de Música Popular Sergipana, na década de 80 e o Novo Canto - Festival de Música Estudantil, que em 86, 87 e 88, lançou nomes como Chico Queiroga, Antônio Rogério, Sena e Sergival, Nininho Silveira, hoje Nino Karva, entre outros. A UFS promoveu em 1989 o Festival de Música Ecológica, cujo vencedor foi Nininho Silveira, e em 92, o Femufs - Festival de Música Universitária.

Os demais encontros, sendo os principais o Encontro Cultural de Laranjeiras, o Festival de arte de São Cristóvão (FASC) e o Encontro Cultural de Propriá, que biscavam dar ênfase ao folclore, às manifestações populares e à arte.

Nas décadas de 70 e 80, o principal elemento de divulgação dos músicos sergipanos foram, sem dúvida, os bares. Cada dia da semana era destinado a um barzinho.

O Canta Nordeste, na década de 1990, estimulou a produção musical de Sergipe, reunindo grandes intérpretes e compositores como Amorosa, Ismar Barreto e Patrícia Polayne.

Em nível local, o Sescanção, festival realizado pelo Sistema Fecomércio, pode ser considerado hoje o evento mais articulador da música em Sergipe.

Por Kátia Susanna com informações da ASN.

Texto e imagens reproduzidos do site: infonet.com.br/sergipanidade/2013

Ilha da Sogra

Foto: Emsetur.

Viva sua Sergipanidade - Pontos Turísticos.

Ilha da Sogra

Um banco de areia em formato de ferradura, que durante o dia é uma bela ilha deserta e, ao cair da tarde é coberto pelas águas, não há vegetação no local, apenas algumas rochas. Uma ilha entre rio e mar que, segundo uma lenda, foi local escolhido por um pescador nativo para abandonar a sogra. A ilha é extraordinária e possui cerca de um quilômetro de extensão. De um lado, o visitante pode tomar banho de rio, em água salobra e do outro lado da ilha, tomar banho no mar aberto onde a temperatura da água é mais quente.

Texto e imagem reproduzidos do site: infonet.com.br/sergipanidade/2013

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Sebastiana e seus 14 filhos





Fotos: Tássio Andrade.

Publicado originalmente no site G1 SE, em 19/05/2015.

Mulher que teve o 21º filho aos 51 anos volta para casa em Sergipe
Maioria dos filhos de Sebastiana ainda é pequeno, 14 vivem na casa.
Ela diz que não encontra dificuldades para administrar tarefas domésticas.

Tássio Andrade.
Do G1 Sergipe.

A marisqueira Sebastiana Maria da Conceição, 51 anos, retornou para casa com o 21º filho, no município de São Cristóvão, na Grande Aracaju, o Tássio da Conceição Souza, na tarde da sexta-feira (15). O nascimento do bebê chamou a atenção e virou notícia em todo o Estado de Sergipe. Segundo a equipe médica que fez o parto de Sebastiana, a idade da mãe e também a quantidade de filhos tornou a gravidez de risco.

A equipe do G1 Sergipe fez uma visita na manhã desta segunda-feira (18) à família para saber um pouco do cotidiano de cada um deles. Sebastiana mora com o esposo Edson José Messias Souza, 49, e 14 filhos de idades variadas. A casa da família é bem simples e fica localizada na periferia do município de São Cristóvão.

“A casa é pequena, são três quartos apertados e um banheiro para todo mundo, mas a gente se virar e consegue deixar tudo em ordem. Eu e ela trabalhamos vendendo peixe e esse é o nosso único sustento. As dificuldades são muitas, mas o que importa é que aqui todo mundo é feliz. Nós gostamos de crianças, elas deixam o lar abençoado”, contou Edson José Messias Souza, esposo de Sebastiana.

As crianças estão espalhadas em todos os cantos da casa. Como o espaço é pequeno, a rua vira o local perfeito para as brincadeiras. “Eu gosto de ter muitos irmãos, estou feliz que agora tem mais um”, disse sorridente o pequeno Alysson da Conceição Souza, de sete anos.

Sebastiana diz que não encontra dificuldades para administrar as tarefas domésticas. “Metade estuda pela manhã e outra metade pela tarde. Todos estão na escola e me preocupo bastante com isso. Só não tenho tempo de fiscalizar o dever de cada um, não existe tempo”, confessa Sebastiana.

Segundo a marisqueira, o bebê Tássio, nome inspirado neste repórter que escreve agora, é bem tranquilo e só sabe dormir. “É um amor de criança, dorme o dia todo, um presente de Deus”, disse emocionada. Ela também tem orgulho de apresentar cada um dos 14 filhos que ainda moram com ela.

“Cada um tem uma beleza diferente, e eles são diferentes também no jeito de ser. A maioria ainda é tudo pequeno, depois do Tássio, a Damaris é a mais nova. O que eu acho mais bonitos são os olhos deles, todos claros”, relata orgulhosa a mãe coruja.

Aos 51 anos e com 18 filhos vivos, 14 ainda morando com ela, Sebastiana tem consciência dos desafios futuros. “Passamos muitas necessidades e temos várias limitações, mas tenho certeza de que Deus atende nossos pedidos e não deixar faltar nada dentro de casa. Esses filhos representam a minha vida e sei que ser mãe é o meu destino”, finaliza dona Sebastiana.

Entenda o caso.

Ela é mais conhecida na comunidade onde mora como ‘Poucos Filhos’, Sebastiana Maria da Conceição tem 51 anos, e possui no currículo 21 partos, todos normais. O último filho nasceu na quarta-feira (13) na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, em Aracaju, o bebê chegou ao mundo pesando 3.040 kg e medindo 46,5 cm. Os três filhos mais novos de Sebastiana têm um ano e seis meses, dois anos e oito meses e três anos e onze meses.

“Meu primeiro filho foi aos 13 anos, ainda era muita menina, não sabia de muita coisa. Mas, foi depois que fiquei com idade avançada que comecei as ter um atrás do outro”, conta Sebastiana.

Ainda na maternidade, ela exibe com orgulho o bebê, que até então não tinha nome. Sebastiana pergunta o meu nome durante a matéria, acha diferente e bonito, e não deu outra, o pequeno foi ganhou o nome de Tássio da Conceição Souza.

“Ela gosta de nomes diferentes, batizou o nome da outra filha de Damaris, nome de uma enfermeira. Sebastiana teve os últimos seis filhos aqui na maternidade Nossa Senhora de Lourdes e sempre busca que não são tão comuns”, disse Juliana Costa, assessora de comunicação da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes.

Sebastiana Maria da Conceição mora em um povoado do município de São Cristóvão, na Grande Aracaju, é uma mulher humilde e vive com o marido da venda de pescados. Ela confessa que ama crianças e diz que não teve medo de dar à luz aos 51 anos.

“Sou boa de barriga, em nenhum momento eu tive medo, sou uma mulher forte. Foi tudo normal, e nunca quis fazer a cirurgia para ligar. Acho que esse vai ser o último, mas isso só Deus sabe, confesso que quero mais um”, disse Sebastiana animada.

A maior preocupação da equipe médica da maternidade foi em relação à saúde de Sebastiana e com a do bebê também. Ela teve pré-eclâmpsia¸ que ocorre quando a mulher grávida tem pressão arterial elevada durante a gestação. Segundo o médico obstetra Luis Eduardo Padro Correia, superintendente da maternidade, a gestação foi de alto risco.

“Ela teve esse problema de pressão arterial alta, o que é algo grave. Como ela fez vários partos normais, isso facilitou a evolução do parto. Apesar do risco elevado, mãe e filho estão bem e não correm risco”, avaliou o médico obstetra Luis Eduardo Padro.

Dona Sebastiana tem 18 filhos vivos, ela diz que nasceu para ser mãe de muitos. “Sempre me vi uma mãe cheia de crianças, esse foi o meu destino, tenho certeza!”, afirma. A mais nova mamãe é casada com um homem da mesma idade. No total, ela deu à luz 10 mulheres e 11 homens. Ela conta que as pessoas ficam curiosas e perguntam se a criança é neta dela.

“Todo mundo acha que sou a avó do meu próprio filho, quando digo que sou a mãe as pessoas tomam um susto. Ficam me olhando de forma estranha, pois eu nem ligo pra isso. Cuido dos meus filhos e amo muito cada ser que coloco no mundo, é uma virtude que Deus me deu. Ser mãe aos 51 anos, não tenha dúvida, é uma felicidade sem explicação”, conclui sorridente Sebastiana.

Texto e fotos reproduzidas do site: g1.globo.com/se/sergipe

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Espaço em homenagem a Zé Peixe é inaugurado em Aracaju




Fotos: Portal Infonet.

Infonet - Cultura - Noticias - 19/05/2015.

Espaço em homenagem a Zé Peixe é inaugurado em Aracaju
Obra foi feita em antigo terminal hidroviário de Aracaju

Foi inaugurado nesta terça-feira, 19, o Espaço Zé Peixe, localizado no antigo prédio do terminal hidroviário de Aracaju. O ambiente é mais uma opção de turismo e cultura para a população, e homenageia José Martins Ribeiro Nunes, o Zé Peixe (1927-2012). O local revive a história do ícone sergipano através de fotos, objetos, e estátua do homenageado.

Familiares do homenageado prestigiaram a celebração organizada pelo governo de Sergipe, discursaram e agradeceram o empreendimento criado em memória do familiar. Emocionada, a irmã de Zé Peixe, Rita Peixe de 78 anos, descreveu seus sentimentos. “É muita felicidade ver essa obra, mas tristeza por ele não estar aqui vendo isso. Sinto agradecida e sei que ele merecia esse memorial, pois representa muito a história dele”.

A celebração do novo espaço também contou com a presença do Governador Jackson Barreto, que em discurso, caracterizou o espaço como um marco para o memorial de Sergipe. “Aqui não se fez apenas uma obra, vai além, é um espaço de memória para que as futuras gerações se lembrem e conheçam quem foi o Zé Peixe. E não teria lugar melhor senão de frente para o Rio Sergipe, que fez parte da sua vida, luta e história”, disse.

A secretária Marta Leão, da Secretaria de Estado da Mulher, da Inclusão e Assistência Social, do Trabalho e dos Direitos Humanos (SEIDH), citou em discurso que “o ambiente foi criado para todas as classes, e terá preços acessíveis”. Segundo ela, a iniciativa vai fomentar o turismo no centro comercial de Aracaju.

O Espaço Zé Peixe possui dois pavimentos que contemplam: loja de artesanato sergipano, mirante para o Rio Sergipe, cafeteria, restaurante, um ponto Banese, loja de doces caseiros da terra, espaço reservado para o Memorial Zé Peixe e sua trajetória de vida, além de exposição de painéis do artista plástico Elias Santos. O espaço atende também aos critérios de acessibilidade com banheiros, rampas e elevador para portadores de deficiência.

José Martins Ribeiro Nunes, o Zé Peixe, filho de Vectúria Martins, uma professora de matemática e de Nicanor Nunes Ribeiro, um funcionário público, nasceu no dia 05 de janeiro de 1927, em Aracaju e faleceu no dia 26 de abril de 2012. Foi criado em uma casa em frente ao Rio Sergipe, na atual Avenida Ivo do Prado, próximo a Capitania dos Portos e que pertenceu aos seus avós, onde viveu até sua morte. Aos 11 anos de idade já era um excelente nadador. Certo dia, o comandante da marinha, conhecido como Aldo Sá Brito de Souza estava desembarcado na Capitania dos Portos e sua âncora havia enganchado no fundo do rio, e ao observar a destreza do garoto José Martins, o apelidou de "Zé Peixe", apelido que se firmou.

Em 1947, seu pai o levou ao serviço da Marinha, onde mediante concurso foi admitido como Prático do Estado lotado na Capitania dos Portos de Sergipe, profissão que exerceu por mais de meio século. A barra do rio Sergipe era uma das piores entradas portuárias do país e Zé Peixe com sua dedicação e conhecimento detalhado da profundidade das águas, das correntezas e da direção do vento sempre se destacou no serviço de praticagem. Essa profissão lhe deu fama nacionalmente, sendo destaque na imprensa pelo trabalho desenvolvido.

Por Ícaro Novaes e Verlane Estácio com informações da ASN.

Texto e imagens reproduzidos do site: infonet.com.br/cultura

Semana de Museus inicia atividades

Foto: Edinah Mary.

Infonet - Cultura - Noticias - 19/05/2015.

Semana de Museus inicia atividades com mostra de cinema
Mostra Audiovisual de Cultura Sergipana abre atividades

A programação da 13ª Semana de Museus, organizada pela Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), inicia nesta quarta-feira, 20, com a ‘’ Mostra Audiovisual de Cultura Sergipana’’. As atividades seguem até o final desta semana no Centro Cultural de Aracaju, com a 1ª Jornada de Estudos “Cultura Popular e Sustentabilidade”.

A Mostra Audiovisual será exibida na Sala de Projeção Walmir Almeida, durante os três dias de atividades, sempre a partir das 15 horas. Ao todo serão exibidos nove filmes sergipanos, entre documentários, curtas e especiais de televisão e será realizado pelo Núcleo de Produção Digital Orlando Vieira (NPDOV).

Já a Jornada de Estudos, que será realizada no Teatro João Costa, nos dias 21 e 22 de maio, das 8h30 às 12 horas, trará professores e especialistas na área de museologia. A primeira mesa redonda, contará com a fala da presidente da Funcaju, professora Aglaé Fontes e com a professora do Núcleo de Museologia da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Verônica Nunes.

No dia 22, a Jornada traz o assessor executivo da Secretaria Estadual de Cultura (Secult), Irineu Fontes, a professora do Núcleo de Museologia da UFS, Ana Carina Rocha e o coordenador geral do grupo Cacumbi do Mestre Deca, Antônio Carlos. Grupo folclórico centenário do município de Laranjeiras, Cacumbi do Mestre Deca se aprese no final da manhã, no encerramento da atividade.

Durante o evento o público poderá visitar a exposição “Divina Renda”, cedida pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), e também poderão assistir o lançamento do livro “Dicionário da Religiosidade Popular”, de Frei Xico, no dia 22.

A Semana de Museus é uma ação permanente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), autarquia federal vinculada ao Ministério da Cultura (MinC). “Museus para uma sociedade sustentável” é o tema da edição de 2015, que marca o Dia Internacional de Museus, comemorada em 18 de maio.

O Centro Cultural de Aracaju fica localizado na Praça General Valadão, s/n. Os interessados em participar da Jornada de Estudos podem se inscrever no dia e local do evento. Todas as atividades promovidas pela Funcaju são gratuitas.

Fonte: Funcaju.

Texto e imagem reproduzidos do site: infonet.com.br/cultura

Secult anuncia reformas em museus de Sergipe


Infonet - Cultura - Noticias - 18/05/2015.

Secult anuncia reformas em museus de Sergipe
Recursos serão usados para reforma e modernização dos museus

Com o objetivo de discutir um acordo de cooperação entre a Secretaria de Cultura e a Prefeitura de Laranjeiras para a gestão de unidades museais, o secretário de Cultura Elber Batalha informou a liberação de recursos para a reforma e modernização dos museus do Estado. Além do secretário, participaram da reunião o assessor técnico da Secult, Irineu Fontes, o Prefeito de Laranjeiras, Juca Araújo, o Secretário de Planejamento de Laranjeiras, Paulo Leite e o Secretário de Cultura de Laranjeiras, Evanilson Calazans e a Coordenadora de Obras e Manutenção Predial da Secult, Juliana Mendonça. Em pauta, a reestruturação física e administrativa das unidades museais existentes na cidade de Laranjeiras, que passarão, em breve, por reforma.

Elber Batalha disse que conseguiu junto ao Governo do Estado que parte do recurso do empréstimo do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para projeto a ser desenvolvido pelo Programa do Desenvolvimento do Turismo (Prodetur) seja destinado para a reforma e modernização dos museus sergipanos. “Nosso intuito é conduzir alterações físicas e, também, administrativas que permitam que os museus estejam aptos para a recepção dos que visitam Sergipe. Os museus dividem com os visitantes a nossa história e cultura. Reconhecer a importância deles é primordial para que possamos dar à cultura de Sergipe o tratamento respeitoso que merece", declara o gestor da Cultura no estado.

Para o coordenador geral do Prodetur, José Roberto de Lima Andrade, a reforma e modernização dos museus são de extrema importância para o turismo sergipano. “Serão destinados U$$ 1,5 mi para o trabalho com os museus sergipanos. A cultura é um instrumento de promoção turística. Na verdade, quando falamos de turismo, falamos de experiência. Esse é um dos maiores diferenciais de Sergipe. Sua história motiva viagens e os museus guardam essa história e cultura”, avalia.

Além da reforma física, o compromisso assumido pelos representantes da Secult e da Prefeitura de Laranjeiras, é fazer com que as unidades museais passem por reforma administrativa que permita a recepção dos seus visitantes. "Vai haver a celebração de convênio com o objetivo de ampliar o quadro de pessoal em exercício nos museus de Laranjeiras. A Prefeitura vai administrar a equipe operacional e o Governo, por meio da Secult, vai trabalhar a equipe técnica. Desta forma, conseguiremos a melhor prestação de serviços para a população", avalia o Prefeito de Laranjeiras, Juca Araújo.

Fonte: Secult.

Texto e imagem reproduzidos do site: infonet.com.br/cultura

Exposição 'Sergipe, Cor e Cultura', de Adauto Machado,








"Com muita alegria convidamos todos os Amigos para a exposição 'Sergipe, Cor e Cultura', de Adauto Machado, sob a minha curadoria. Especial agradecimento ao Secretário de Cultura Elber Batalha e aos queridos amigos Neu Fontes, Lindolfo Amaral, Stella Maris Dornelas e Jane Junqueira e demais colegas/amigos da Secult que me deram essa particular oportunidade de organizar esse evento como marco da inauguração das novas instalações da Galeria J. Inácio. Local Biblioteca Epifânio Doria...". (Mário Britto).

Imagens e Texto reproduzidos do Facebook/Mário Britto.

domingo, 17 de maio de 2015

Exposição de Adauto Machado reinaugura Galeria J. Inácio


Fotos: Portal Infonet

Infonet - Cultura - Noticias - 14/05/2015.

Exposição de Adauto Machado reinaugura Galeria J. Inácio
A galeria funciona na Biblioteca Pública Epifânio Dória

A Galeria J. Inácio foi reinaugurada na noite desta quinta-feira, 14, com a exposição “Sergipe, cor e cultura”, de autoria do artista plástica sergipano, Adauto Machado. A galeria que volta a funciona em seu antigo espaço, a Biblioteca Pública Epifânio Dória, ganhou uma nova sala, minimamente reformada para abrigar corretamente os objetos de arte.

“A gente devolve a galeria J Inácio ao povo sergipano e aqueles que são admiradores da cultura com essa belíssima exposição de Adauto Machado, que ficará por 30 dias. As obras de arte aqui expostas fazem uma viagem pela cultura do nosso estado, retratando as diversas manifestações culturais e folclóricas”, comenta o secretário de Estado da Cultura, Elber Batalha.

Ainda de acordo com o secretário, agora reformada, a galeria poderá receber trabalhos de diversos artistas sergipanos. “Mensalmente haverá um revezamento de pintores, escultores, artistas plásticos das mais diversas matizes, para que apresentem seus trabalhos à sociedade. Será um espaço para que eles negociem sua arte e tenham condições de viver dela”, destaca.

O artista Adauto Machado destacou sua alegria com a reinauguração da galeria. “Essa galeria é o meu xodó. Acredito que foi na J Inácio que eu participei do maior número de exposições, em toda a minha vida, não apenas em Aracaju. Mesmo tendo mudado muito de lugar, participei de exposições em todos os diversos locais em que esteve”, conta.

A Galeria J Inácio foi inaugurada em 1981, com uma exposição do pintor Ronaldo, Gomes de Oliveira, o “Caã”. Desde então, tem sido palco das artes plásticas em Sergipe, recebendo exposições de artistas de renome nacional e internacional, além de artistas sergipanos consagrados, como José de Dome, Horácio Hora, Álvaro Santos, Florival Santos, Pythiu, Cãa, Leonardo Alencar e Jenner Augusto.

A Galeria funcionava no hall da Biblioteca Pública Epifânio Dória. Para que as obras fossem adequadamente expostas, a galera foi transferida para uma sala, que foi reformada e teve itens como iluminação e ventilação planejados.

Por Verlane Estácio com informações da Secult

Texto e imagens reproduzidos do site: infonet.com.br/cultura