sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Balaio de poesias será lançado pelo Sesc nesta sexta

Foto: Ascom Sesc.

Infonet > Cultura > Noticias > 11/02/2016.

Balaio de poesias será lançado pelo Sesc nesta sexta.

Sesc em Sergipe realiza na sexta-feira,12, às 16h.

Ainda em comemoração aos 30 anos do Trabalho Social com o Idoso, o Sesc em Sergipe realiza na sexta-feira,12, às 16h, na Unidade Siqueira Campos, localizada à rua Bahia, 1059, bairro Siqueira Campos, o lançamento do livro “Balaio de Poesias”, do poeta sergipano Heribaldo Doroteu, membro do Grupo de Idosos Nova Vida.

O livro é baseado nas experiências de vida do autor que, após ter enfrentado uma depressão, passou a reconstruir a sua história através da música, dança, arte de interpretar e, em outros projetos desenvolvidos pela instituição, como o Reciclarte.

Heribaldo Doroteu atribui esse trabalho a uma das assistentes sociais do Sesc. “Joana Angélica de Almeida deu-me a missão de escrever um livro. Obediente, com apoio, calor humano, incentivo e amor, produzi o fruto impulsionado por todos que me ajudaram a plantar a semente”, disse Doroteu.

Com essa ação, o Sesc cumpre parâmetros importantes em relação ao exercício da cidadania, provocando o entendimento e a participação da terceira idade no efetivo aprendizado, ratificando o significado de serem cidadãos.

“No Sesc, os idosos participam de trabalhos em grupo com pessoas da mesma idade e de outras gerações. Interagem com novas formas de conhecimento e compartilham expectativas vivenciais”, afirmou a diretora regional Adely Carneiro.

Segundo João Lover, revisor dos textos, “nas 56 páginas do livro, o autor nos contempla com um jogo imagético, utilizando rimas consoantes alternadas nas suas belas estrofes, nos convidando para degustar de cada poema como se fosse um bom vinho, sem pressa, saboreando cada verso com todo carinho e afeto que o poema merece”, comentou.

Fonte: Assessoria de Comunicação.

Texto e imagem reproduzidos do site: infonet.com.br/cultura

Mapa Turístico da Cidade de Aracaju

Imagem reproduzida do blogcelihotel.wordpress.com

Um espaço para um mito sergipano!


Publicado originalmente no Blog Celi Hotel, em 21 de maio de 2015.

Um espaço para um mito sergipano!

Todo lugar guarda suas histórias, suas lendas e seus mitos. Aqui em Sergipe não é diferente! E esta semana um mito sergipano dos dias atuais recebeu uma grandiosa homenagem: um espaço de turismo com seu nome. O antigo terminal hidroviário de Aracaju, desativado há alguns anos, transformou-se num ambiente modernizado, aconchegante e com uma vista belíssima para o Rio Sergipe, chamado de Espaço Zé Peixe. Os mais novos podem não saber de quem se trata, os mais velhos contam seus feitos como lendas, mas José Martins Ribeiro Nunes, ou apenas Zé Peixe, foi, sem dúvida, o prático mais famoso na marinha brasileira. “Prático”?! Sim, e para quem não conhece a profissão, o sr. José Martins era responsável por guiar as embarcações que vinham de alto mar para o porto local, de modo que elas não encalhassem ao se aproximar da costa; depois, guiava-as de volta ao mar, atravessando o Rio Sergipe. Até aí, tudo bem. Mas o diferencial dele é que seu transporte até os navios era feito sempre à nado!

Parece história de pescador, mas não é, não! Sua fama foi tão longe que se espalhou pelo país em matérias de programas de TV ou entrevistas com medalhões, como Jô Soares e Glória Maria. A vida de Zé Peixe, como ficou carinhosamente conhecido, virou documentário, artigo acadêmico, temática de eventos sobre a história de Sergipe e até livro! Sem falar de todas as premiações que recebeu ao longo dos seus 85 anos de vida, sendo 65 deles como prático: Medalha Almirante Tamandaré, Grão-Mestre da Ordem do Mérito Serigy, Cidadão Sergipano do Século XX, Condecorado com Escudo em ouro do Rio Grande do Norte… Alguns deste prêmios, foram resultados de atos verdadeiramente heroicos, como salvamento de velejadores que vieram do Rio Grande do Norte e quase naufragaram na costa sergipana, entre outros, que chegam a contar mais de 100!

Enfim, uma pessoa que teve tamanha importância e reconhecimento, até em nível nacional, precisava de um espaço para lhe representar. E que espaço melhor do que um prédio que fica às margens do rio que por tantas vezes Zé atravessou? Uma justa homenagem para o prático sergipano e um local que deve ser conhecido pelos turistas, para que descubram um pouco mais sobre Sergipe e sua história. E, finalmente, isto se concretizou!

Falecido em 2012, Zé Peixe recebeu inúmeras homenagens durante toda sua vida. Infelizmente, não está mais presente para conhecer o espaço que leva o seu nome, mas vários representantes da família, como sua irmã e sobrinhos, participaram da inauguração. O espaço, que tem como foco o público turístico que vem à Sergipe, integra o centro histórico de Aracaju e conta com um balcão de informações, lojas com artigos de artesanato, restaurante e um ambiente destinado à contemplação do mar. A estátua de bronze do homenageado que foi erguida no local é uma representação do seu trabalho e do que fez com que o sr. José Martins deixasse de ser apenas mais um prático para se transformar no Zé Peixe, mito sergipano.

Seja sergipano ou turista, conhecer o Espaço Zé Peixe é uma oportunidade de descobrir mais sobre este ilustre sergipano, nossa cultura e ainda admirar a beleza do rio. Um novo cartão postal a ser incorporado à nossa bela cidade. Mais um motivo para conhecer Aracaju e descobrir que Sergipe tem muito a te oferecer.

Fotos: site Turismo Sergipe e Jornal do Beltrão.

Texto e imagem reproduzidos do blogcelihotel.wordpress.com

Lembranças do Pré-Caju - Bloco Bora-Bora





Fotos reproduzidas do site: infonet.com.br/verao/2011

Lembranças do Pré-Caju - Bloco Com Amor




Fotos reproduzidas do site: infonet.com.br/verao/2011

Lembranças do Pré-Caju - Bloco Bora-Bora




Fotos reproduzidas do site: infonet.com.br/verao/2011

Folclore Sergipano


Fotos: Mercelle Cristinne/Secult.
Reproduzida do site: infonet.com.br/verao/2011

Rasgadinho mantém tradição no último cortejo

Foto: Cássia Santana/Portal Infonet.

Infonet > Cultura > Noticias > 09/02/2016.

Rasgadinho mantém tradição no último cortejo.

Organizadores já traçam planos para a versão 2017.

“Paz, amor, diversidade musical, irreverência, alegria, confetes e serpentinas”. Esta é a definição para o Bloco Rasgadinho feita por Mércia Barreto, uma das organizadoras do bloco que reuniu milhares de foliões entre o sábado, 6, e esta terça-feira, 9, de carnaval. Ingredientes que vão compor a próxima versão desta festa que se tornou tradição no carnaval de Aracaju.

Um problema técnico no sistema de som do trio atrasou, mas não ofuscou o brilho do último cortejo do Bloco Rasgadinho que arrastou milhares de foliões pelas principais ruas dos bairros Cirurgia, Getúlio Vargas e Suissa na capital sergipana. As Orquestras Rasgadinho, Frevo e Folia e Frevo Temperado deram a partida, com os tradicionais bonecos gigantes mantendo a tradição dos antigos carnavais.

A cantora Karla Isabella, consagrada musa do bloco, teria uma participação especial no cortejo. Ela ainda subiu no trio, mas o problema técnico acabou comprometendo a participação da cantora sergipana no Patusco. Para não atrasar a programação nos palcos fixos, Karla Isabella acabou se despedindo ali mesmo, na própria concentração, dos músicos pernambucanos, para comandar uma outra plateia formada por crianças no Matinê do Rasgadinho.

Alegria e Diversidade

No cortejo, os foliões exibiam as mais diversificadas fantasias. “Todo ano eu acompanho, é um bloco da família, harmonioso, um ponto de encontro dos amigos”, resume a professora Carcimeiry Batista, a Tia Cacá, que decidiu extrapolar o espírito infantil neste ano. “O índio se caracteriza como um personagem marcante, além de ser vulnerável”, reage o professor Cássio Martins, 26, para explicar a opção pela fantasia que usou durante o desfile.

O auxiliar administrativo Carlos Custódio, 36, acompanhou o cortejo ao lado da sobrinha Alícia Moura, de oito anos. “Eu estou gostando muito”, resumiu a criança. “É muito tranquilo, dá para trazer as crianças e se divertir”, observou Custódio.

O locutor oficial Marcos Benigno, e também um dos coordenadores do bloco, avalia que neste ano o Rasgadinho reuniu um público entre 90 mil a 100 mil pessoas por dia de arrastão. Ele avalia como positivo os resultados da festa e promete novas surpresas para a versão 2017. “Na quinta-feira a gente já começa a traçar os planos para o próximo ano”, diz, garantindo prioridade para os artistas sergipanos.

Por Cássia Santana.

Texto e imagem reproduzidos do site: infonet.com.br/cultura

Matinê do Rasgadinho encanta público infantil




Karla Isabella comanda show para as crianças.

Fotos e Legenda reproduzidas do site: infonet.com.br/cultura

Rasgadinho mantém tradição no último cortejo




Rasgadinho mantém tradição no último cortejo
Organizadores já traçam planos para a versão 2017.
Fotos e Legenda reproduzidas do site: infonet.com.br/cultura