sábado, 20 de outubro de 2018

Devotos celebram os 60 anos de peregrinação a Divina Pastora



Publicado originalmente no site do Portal FAN F1, em 19/10/2018

Devotos celebram os 60 anos de peregrinação a Divina Pastora

Por Célia Silva

Celebrações eucarísticas, mutirões de confissões e outros eventos estão inseridos na programação da principal Peregrinação ao Santuário Arquidiocesano de Nossa Senhora Divina Pastora, neste domingo, dia 21, na cidade distante a 39 km de Aracaju (SE). Esta será a 60ª edição anual da maior manifestação religiosa de Sergipe e uma das maiores do Brasil.

Com a participação de milhares de peregrinos, vindos também de outros estados, a caminhada penitencial tem um percurso de cerca de 10 quilômetros, entre as cidades de Riachuelo e Divina Pastora, onde fica o santuário.

O tema da Peregrinação 2018 é “Nossa Senhora Divina Pastora, Santuário vivo da Santíssima Trindade”. Dom João José Costa e os demais bispos da Província Eclesiástica de Aracaju (Propriá e Estância), além de vários sacerdotes, irão celebrar as santas missas previstas na programação. No dia 15 de outubro de 2017, Nossa Senhora Divina Pastora foi elevada à condição de Padroeira de Sergipe. O Santuário Arquidiocesano está sob os cuidados do padre Helelon Bezerra dos Anjos.

Texto e imagens reproduzidos do site: fanf1.com.br

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Centro Cultural de Aracaju comemora quatro anos...


Publicado originalmente no site da PMA, em 17/10/18 19h22

Centro Cultural de Aracaju comemora quatro anos de valorização da arte e cultura do povo sergipano

Inaugurado em 2014, o Centro Cultural, unidade vinculada à Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), comemora, no dia 20 de outubro, quatro anos de muita história. O imponente prédio, localizado na Praça General Valadão, marco zero da capital, oferece a população sergipana e aos turistas, um espaço de disseminação e fortalecimento da cultura do Estado e acesso às diversas manifestações artísticos culturais, através de eventos, cursos, exposições, apresentações musicais, mostra audiovisuais. Possui também um grande acervo de livros de escritores sergipanos. 

Em comemoração, o Centro Cultural preparou uma programação para os próximos dois dias, quinta-feira (18) e sexta-feira (19). Amanhã, às 17:30, terá exibição dos filmes ‘Elo Perdido’, de Renata Falzoni, e ‘Sinal Vermelho’, de Cariolando Santos e Luciano Freitas, na Sala Exibição do Núcleo de Produção Digital Orlando Vieira (NPDOV). Já às 20h, o palco do Teatro João Costa recebe uma edição especial do projeto ‘Quinta Instrumental’; e na sexta-feira, às 14h, contará com o ‘Sarau das Estações’, na Biblioteca Mário Cabral e Teatro João Costa.

Localizado na Praça General Valadão, a unidade está aberta de terça a sexta-feira, das 9h às 17h, e aos sábados das 8h30 às 13h, oferecendo diversas experiências a quem chega. O local bate recordes de visitação todos os anos. Até setembro deste ano recebeu um total de 6.200 visitas, incluindo visitantes individuais, grupos de escolas de aracaju e de outros municípios da capital, turistas nacionais e internacionais, além dos não identificados. Os números são contabilizados a partir de um caderno de registro de visitas.

Natural de Minas Gerais, o visitante Guilherme Baêta Neves, que reside atualmente em Aracaju, foi um desses visitantes e ficou encantado com o Centro Cultural. “Achei esse lugar super interessante. Mas, muitas pessoas não têm a consciência do que representa um centro de cultura. Esse espaço é um centro de riqueza, onde você pode reviver histórias”, opina.

História

Construído em meados do século XIX como a antiga alfândega da cidade, o prédio foi um dos primeiros da atual capital sergipana. Em função dos desgastes causados na estrutura, o imóvel foi demolido no final do século XIX e erguido um novo pelo engenheiro Leandro Maciel, sendo inaugurado em 18 de maio de 1929. Todo o prédio tem a estrutura original do ano de 1929, mas foram feitas adaptações e restaurações de  2008 a 2014, quando foi reinaugurado, mediante um convênio entre a Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) e o Banco Internacional de Desenvolvimento (BID), em 20 de outubro de 2014, como Centro Cultural de Aracaju.

Texto e imagem reproduzidos do site: aracaju.se.gov.br

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Odonto Fantasy reúne mais de 16 mil pessoas no Sítio Terêncio

Festival ocorreu no fim de semana em Aracaju

Publicado originalmente no site do Cinform, em 15 de outubro de 2018

Odonto Fantasy reúne mais de 16 mil pessoas no Sítio Terêncio

Por Fredson Navarro

O Festival Odonto Fantasy 2018, realizado no último sábado (13), foi marcado pela variedade de ritmos, lançamentos de hits, fantasias de todos os cantos do país e muita diversão. Com um público de aproximadamente 16 mil pessoas, o Sítio Terêncio abriu as portas para a maior festa à fantasia do Brasil, com shows de grandes atrações da música brasileira, como Ivete Sangalo, Léo Santana, Devinho Novaes e Gabriel Diniz, além de novos nomes como Àttøøxxá, Mc Sapão e DJs da música eletrônica.

Pela primeira vez, o sergipano Devinho Novaes levou o show do “Boyzinho” para o festival, abrindo as atrações principais do Palco Fantasy. “Foi a realização de um sonho. Eu, que já curti tanto a festa lá embaixo, tive a oportunidade de cantar no mesmo palco que feras como Ivete Sangalo, Léo Santana e Gabriel Diniz”, disse. Quem também cantou pela primeira vez na Odonto Fantasy foi o MC Sapão, levando o funk do Rio de Janeiro para o Palco Mix do festival. “Experiência maravilhosa! Desde já quero agradecer por fazer parte dessa grande mistura de sons e ritmos. É house, é funk, é pop, é axé… é Brasil”, afirmou.

O gigante Léo Santana foi uma das atrações mais esperadas pelo público, trazendo novos hits em seu repertório. “A cada ano o evento vem se superando e eu tenho que colar junto, sempre atualizando o nosso show. Trouxemos as novas músicas “Crush blogueirinha” e “Solinho da Rabeta”. A Odonto Fantasy é uma prévia do que vai acontecer no Carnaval, de canções que vão chegar forte no verão”, contou.

Por falar em atrações baianas, a Odonto Fantasy recebeu pela primeira vez o grupo Àttøøxxá, que mistura pagode e eletrônico, autor do hit “Popa da bunda” (“Elas gostam”). “A gente já tem uma conexão muito grande com a galera de Aracaju, que abraça a nossa ideia”, disseram os integrantes. O versátil Gabriel Diniz (GD) levou o seu animado show pela segunda vez para o público do festival. “A Odonto Fantasy é referência no Brasil! Ficamos muito felizes com esse retorno. O nosso show é sempre bem eclético e diferenciado”, falou.

Público 

O Festival Odonto Fantasy reúne fantasias e públicos de diversos Estados. Os amigos alagoanos Narele Pantaleão, Diogo Millan e Lucas Alcantara foram vestidos de semáforo de trânsito e disseram que são presenças garantidas há três anos. “O que mais gostamos são as fantasias e sempre procuramos inovar. Como estamos em três, optamos pelos sinais de trânsito que possuem três cores. Começamos o planejamento e deu certo”, revelou.

O casal mineiro Giedre Marlini e Antônio Carlos participam da festa há 10 anos e unem toda a família para brincar no evento. “Todos os anos bolamos as fantasias e eu confecciono tudo, do sapato à peruca. É uma festa sadia, com programação variada e com segurança. Isso é o que faz a gente vir todos os anos. A Odonto Fantasy realmente está fazendo diferencial no Brasil”, afirmou.

As baianas Jéssica Yllana e Laisla Vitória foram pela primeira vez à festa e elogiaram o evento. “Moramos aqui em Aracaju há dois anos e esta é a primeira vez que estamos na Odonto e amando tudo! A estrutura é maravilhosa, com várias opções, inclusive open bar. Sem falar em tantas atrações musicais locais e nacionais”, disseram.

O mundo mágico da fantasia foi também o que atraiu o maquiador sergipano Airton Gouveia. “É a minha primeira vez e está sendo ótimo, estou amando. Cada pessoa tem um mundo dentro da sua cabeça, e aqui a gente liberta esse eu”, falou. De Arauá, interior de Sergipe, o funcionário público Lucas Goes Araújo gostou da diversidade musical. “É o segundo ano que venho. Achei a programação maravilhosa, porque atende a vários gostos, ritmos e estilos. A organização está de parabéns”, considerou.

Texto e imagem reproduzidos do site: cinform.com.br

Biblioteca Municipal Clodomir Silva promove reflexão com a Hora do Cordel

 Pedro Rocha

Everton Silva

 Maurício Menezes



Erika Santos
Fotos: Lucas Olivier

Publicado originalmente no site da PMA, em 17/10/2018 

Biblioteca Municipal Clodomir Silva promove reflexão com a Hora do Cordel

Com o objetivo de disseminar a literatura de cordel em Aracaju, a Biblioteca Municipal Clodomir Silva, unidade vinculada à Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), propôs nesta quarta-feira, 17, um diálogo sobre a cultura popular, realizando a 13ª edição do projeto ‘Hora do Cordel’. Intitulado “O Brasil Que Queremos”, com os cordelistas Erika Santos e Everton Silva, o evento contou com a presença dos estudantes do 1º ano do Ensino Médio do colégio Unificado, localizado no bairro Siqueira Campos.

Para a cordelista mais nova de Sergipe, Erika Santos, o projeto Hora do Cordel, permite uma interação entre os jovens para falar sobre a cultura nordestina. “Estamos em uma era onde a geração anda cada vez mais conectada e, com isso, encontro como estes são cada vez mais raros. Mas, com força de vontade e com amor a cultura, iremos mudar essa país”, pontuou.

O ‘Hora do Cordel’ já existe há alguns anos na biblioteca mas, desde de 2017, o projeto vem se destacando no tocante ao resgate dos valores nordestinos e populares, incentivando a literatura em suas diferentes formas. “A parceria com a Clodomir Silva surgiu através do convite feito pela coordenadora da unidade, Fabiana Bispo. Hoje, chegamos a 13ª edição debatendo e incentivando a juventude a pesquisar mais sobre a nossa identidade cultural”, destacou Erika.

Já o cordelista Everton Silva, comentou que o projeto é relevante para a valorização da arte das rimas e métricas. “É de extrema importância essa iniciativa. Estar inserido nela pra mim, que só tenho 15 anos e amo a literatura de cordel, é um prazer inexplicável. Ainda mais quando estamos de frente para essa turma de alunos que é o futuro do Brasil. Esse papel exercido pela biblioteca reforça a identidade cultural nordestina”.

Atento ao sarau, o estudante Pedro Rocha enfatizou que é necessário essa ação com cordelistas na biblioteca para a geração ‘Y’. “Gostei muito de tudo que presenciei. Essa iniciativa do poder público municipal traz uma aproximação maior com a literatura de cordel e, ao mesmo tempo, nos enriquece de conhecimento sobre cultura popular e valoriza essa arte. Todos os organizadores estão de parabéns. É uma oportunidade de aprendizado fora do âmbito escolar”, disse.

O coordenador pedagógico do colégio Unificado, Maurício Menezes, elogiou a atividade desenvolvida pela biblioteca. “Somos vizinhos e essa parceria com a escola traz benefícios para estes estudantes. Eles são privilegiados por participarem dessa ação que fomenta a cultura sergipana e incentiva essa arte que é respeitada no mundo inteiro. É gratificante poder trazer esses alunos e aplaudir de perto o trabalho, não só da biblioteca, como desses dois jovens cordelistas. É esse país que queremos regado a muita cultura e arte”, finalizou.

Texto e imagens reproduzidos do site: aracaju.se.gov.br 

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Crianças atendidas no CER visitam Oceanário de Aracaju





Fotos: Silvio Rocha

Publicado originalmente no site da Agência Aracaju de Notícias, em 17/10/2018 

Crianças atendidas no CER visitam Oceanário de Aracaju 

Pelo sorriso de Luan Matheus Saturno, que tem Síndrome de Down, a tarde de terça-feira, 16, no Oceanário de Aracaju foi especial.  Ele tem apenas um ano e oito meses e parecia estar encantado com tudo. "Quando a gente parou na frente dos peixinhos, notei no semblante que ele estava gostando do passeio. Ele ficou bem atento. Essa tarde fez muito bem a ele e a nós também", contou a mamãe Patrícia Queiroz Mathias que também trouxe o filho Lucas de Queiroz de oito anos de idade.

Além de Luan Matheus, outras crianças pareciam gostar da visita ao Oceanário, proporcionada pela Secretaria Municipal da Saúde, através do Centro Especializado em Reabilitação II (CER). A dona de casa Tatiana Gomes Santos veio com a filha Maria Vitória Gomes Paulino, de 10 anos de idade. Ela tem paralisia cerebral. "Esse passeio veio em boa hora, pois é maravilhoso proporcionar essa inclusão social para as crianças. A minha filha se sentiu bem à vontade com os coleguinhas, com quem ela tem convívio lá na fisioterapia", afirmou.

O passeio durou cerca de duas horas. A cada parada, uma nova descoberta. Curiosidades reveladas através dos aquários com peixes, tartarugas, crustáceos e até tubarões.  Mães e filhos conheceram as diferentes espécies marítimas. Para a gerente do Centro Especializado em Reabilitação II, Mylena Amaral Melo, essas atividades tem o objetivo de promover a inserção social dos pacientes. "Eles estão acostumados com aqueles estímulos do dia a dia da sala de atendimento. Esse é o momento de proporcionar um estímulo diferente, de sons diferentes, de cheiros diferentes, de luminosidades diferentes. Tudo isso é enriquecedor para a reabilitação deles", colocou.

O Centro Especializado de Reabilitação atende atualmente cerca de 400 pacientes, entre bebês e idosos de até mais de 80 anos de idade. "Atendemos vários tipos de casos, várias patologias. No caso das crianças, a maioria com paralisia cerebral, microcefalia, síndrome de down. Já os adultos, a maioria com AVC e pacientes amputados e pós-fraturas. Contamos com apoio de fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e psicólogos", informou a gerente.

Humanização

O tratamento oferecido no CER II busca a recuperação dos movimentos físicos dos pacientes, além de trabalhar a questão da autoestima, principalmente nas crianças. O Centro está localizado na rua Porto Alegre, SN, no bairro Siqueira Campos, vizinho ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).  O horário de funcionamento é das 7h às 19h, de segunda a sexta-feira.

Texto e imagens reproduzidos do site: aracaju.se.gov.br

Espaço Joel Silveira, na UNIT, em Aracaju

 Para Edvaldo, o espaço recém-inaugurado 
é um presente para Aracaju 



Edvaldo parabeniza o reitor Joubert Uchôa pela iniciativa 
Fotos: Ana Lícia Menezes/PMA

Publicado originalmente no site da PMA, em 16/10/2018 

Edvaldo destaca importância de Espaço Joel Silveira para Aracaju

O prefeito Edvaldo Nogueira compareceu à Universidade Tiradentes, campus Farolândia, na noite da última segunda-feira, 15, para conhecer o Espaço Joel Silveira, dedicado à memória do jornalista e que está localizado dentro da Biblioteca Jacinto Uchôa de Mendonça. Recém-inaugurado, o espaço abriga toda a história do sergipano, em um acervo de mais de 6 mil exemplares, que seria doado pela família de Joel à Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro.

Durante a visita ao local, o prefeito destacou a grandeza do lugar e afirmou que Aracaju acaba de ganhar um presente. “Aqui está toda a história de um dos maiores jornalista do Brasil, suas obras e tudo aquilo que ele leu para se transformar em quem se transformou. Uma biblioteca que só de olhar, dá vontade de passar horas, folheando as obras em que aqui se encontram. Gilberto Amado tinha uma frase atribuída a Joel que dizia que Sergipe é um estado pequeno para não ofuscar a grandeza de seus filhos. E, de fato, Joel Silveira é um grande sergipano, que marcou a história como jornalista, fez história e foi respeitado”, enalteceu o gestor.

O prefeito Edvaldo Nogueira foi recebido pelo reitor da Unit, Joubert Uchôa, a quem fez questão de parabenizar pela iniciativa. “Uchôa sempre se preocupou com a preservação da nossa história e com a história da nossa gente. É fundamental que tenham essa capacidade e, tanto o reitor quando a Unit dão esse exemplo para o Brasil. Tenho certeza de que esse acervo vai ajudar as novas gerações a conhecerem esse, que foi um dos maiores jornalistas do Brasil”, observou.

O acervo

O Espaço Joel Silveira é uma homenagem da Universidade Tiradentes ao jornalista, que completaria 100 anos no último dia 28 de setembro e que atuou nos principais veículos de comunicação do Brasil. Toda sua história está reunida em um acervo de 6 mil exemplares, que possui publicações consideradas raras e obras especiais, escritas em parceria com grandes nomes da literatura brasileira, a exemplo de Manoel Bandeira e Rubem Braga. Também faz parte do acervo uma coleção preciosa, em parceria com Carlos Drummond de Andrade, e que até então só poderia ser encontrada na Biblioteca Nacional.

Joel Silveira

Nascido na cidade de Lagarto, em 1918, Joel Silveira foi para o Rio de Janeiro em 1937. Lá, se destacou como jornalista e escritor, com aproximadamente 40 livros publicados. Em sua carreira de sucesso, foi contemplado com o Prêmio Machado de Assis, o mais importante da Academia Brasileira de Letras, em 1998, pelo conjunto de sua obra. Foi Também ganhador dos prêmios Líbero Badarô, Esso Especial, Jabuti e Golfinho de Ouro.

Texto e imagens reproduzidos do site: aracaju.se.gov.br

CCTECA recebe 1.200 visitas por mês






Publicado originalmente pela Agência Aracaju de Notícias, em 16/10/18 

CCTECA recebe 1.200 visitas por mês

Um espaço dedicado à ciência, onde é possível dar uma volta no espaço com direito a sentir o cheirinho da lua. Assim é a Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju (CCTECA). Localizada no Parque Augusto Franco (Sementeira) e com entrada gratuita, o local recebe, em média, 1.200 pessoas por mês.

De acordo com o diretor da CCTECA, professor Augusto César Almeida, quase 150 mil pessoas já visitaram a Casa desde que ela foi inaugurada, em março de 2009. Somente este ano, 11.961 pessoas já passaram pelo local. Durante a visita, enquanto participam das atividades realizadas, as pessoas recebem uma verdadeira aula de ciências.

Mantida pela Secretaria Municipal da Educação (Semed), a Casa de Ciência conta conta com 111 experimentos didáticos e interativos, elaborados especialmente para o ensino de Física, Matemática, Química, Informática, Biologia, Astronomia e ciências em geral.

"Nosso primeiro objetivo é a democratização do ensino de ciências em nosso estado. O segundo é permitir que todas as pessoas tenham acesso aos equipamentos que temos, permitir que as escolas tenham acesso aos equipamentos porque muitas escolas infelizmente não possuem laboratório. Nós recebemos escolas municipais, estaduais, particulares e até de outros estados, como Bahia, Alagoas e Pernambuco. Já o terceiro objetivo da casa é divulgar informações corretas para o público, o que chamamos de ‘turismo científico'", enumerou o professor Augusto César Almeida.

Espaços

O diretor da CCTECA explica que o espaço é dividido entre o planetário, que simula as imagens de uma viagem no universo, e a experimentoteca, onde ficam os equipamentos diversos. "Nosso planetário foi o primeiro digital do Brasil. Nele é possível fazer uma viagem desde o sol, passando pelo sistema solar até buracos negros. Apesar de pequeno, tem seis metros de diâmetro, temos uma sala climatizada com 32 poltronas. Diariamente, temos três programações pela manhã e três pela tarde, cada uma com 30 minutos de duração", afirmou.

O planetário possui também no seu corredor uma galeria de fotos com paisagens cósmicas que foram doadas para todos os planetários, centros de ciência e clubes de astronomia do Brasil. "É uma viagem através de vários painéis, com material especial, descrevendo objetos celestes, buracos negros, planetas, então a gente usa também dentro do corredor do planetário", relatou.

A experimentoteca engloba os 111 equipamentos, alguns localizados na área externa e a maioria na área interna da CCTECA. Entre as atrações desta área há a sala de Matemática e sala de Astronomia, onde é possível fazer uma viagem sobre a história, mostrando como surgiu a conquista espacial, a exemplo do Disco de Newton, do Painel Solar, da Bicicleta Geradora de Eletricidade, do Anel Saltador ou Anel de Thompson, da Torre de Hanói, de uma réplica do Satélite de Sputink 1, além do cheiro da lua.

"Muita gente não acredita que o homem foi a lua e aqui agente tenta mostrar que foi. Temos algumas imagens da lua, o telescópio espacial Hubble, o primeiro e maior meteorito encontrado na terra, temos a coleção de meteoritos, imagens do Sol e um quadro comparativo entre ele e outras estrelas, temos imagens do planeta Vênus, que poucas pessoas sabem que o homem conseguiu também pousar espaçonaves lá. Também temos telescópios, que são fruto de uma cooperação desde 2009 com a Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe (SEASE), que é uma entidade sem fins lucrativos com que trabalhamos juntos, promovendo eventos, luais, cobertura de eclipse", pontuou.

Visitantes adoram

A aposentada Giselda Maria mora em Aracaju e ficou encantada com o que viu na sua primeira visita à CCTECA. "Achei uma experiência muito boa, recomendo bastante. Como eu sou de Minas Gerais e estou morando em Aracaju, tem muita gente que vem me visitar e eu estou sempre atrás de coisas diferentes para fazer. Agora esse passeio já entrou no meu roteiro", disse.

Natural de Palmas, no Tocantins, Ana Elise Rocha estava pesquisando o que fazer em Aracaju quando encontrou a Casa de Ciência. "Como está um período chuvoso, procurei passeios alternativos e culturais para as crianças. Eu adorei. É muito interativo e interessante", recomendou.

Horário de funcionamento

Quem quiser conhecer a CCTECA basta ir até o Parque Governador Augusto Franco (Sementeira), onde a Casa de Ciência e Tecnologia funciona (com acesso pela avenida Oviêdo Teixeira). Durante a semana, ela está aberta à visitação de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 17h, sábados e domingos, das 14h às 17h. Na segunda-feira, o funcionamento é apenas interno, e aos feriados não tem funcionamento. A entrada é gratuita.

As visitas são guiadas e para grupos com mais de dez pessoas é preciso realizar um agendamento prévio por meio do telefone 79 3217 3370.

Texto e imagens reproduzidos do site: aracaju.se.gov.br

Peregrinação de Divina Pastora deve atrair milhares de fiéis ao Santuário


Publicado originalmente no site F5 News, em 17/10/2018

Peregrinação de Divina Pastora deve atrair milhares de fiéis ao Santuário

Missas na programação serão celebradas pelo Arcebispo de Aracaju, Dom João José Costa  

Neste domingo (21), ocorre a peregrinação ao Santuário Arquidiocesano de Nossa Senhora Divina Pastora, que sai do município de Riachuelo até Divina Pastora, em Sergipe, e que completa 60 anos de realização.

Com aproximadamente 10 quilômetros de distância, a caminhada deste ano tem como tema "Nossa Senhora Divina Pastora, Santuário vivo da Santíssima Trindade".

As santas missas previstas na programação serão celebradas pelo Arcebispo de Aracaju, Dom João José Costa, e os demais bispos da Província Eclesiástica de Aracaju (Propriá e Estância), além de vários sacerdotes.

Em 2015, a peregrinação foi considerada patrimônio imaterial de Sergipe. Atualmente a festa atrai mais de 150 mil romeiros.

Por Assessoria de Imprensa.

Texto e imagem reproduzidos do site: f5news.com.br

terça-feira, 16 de outubro de 2018

REGISTRO: Filarmônica Euterpe Maruinense comemora 140 anos de fundação

Foto: Ascom/Prefeitura de Maruim

Publicado originalmente no site do Jornal de Maruim, em 30/09/2015

REGISTRO - Filarmônica Euterpe Maruinense comemora 140 anos de fundação

A Sociedade Musical Filarmônica Euterpe Maruinense comemora 140 anos com uma grande retreta neste sábado, 3, às 19h, na Praça Barão de Maruim (Praça da Matriz), no Centro do município de Maruim (SE). A entidade foi criada em 5 de outubro de 1875.

Diversas peças serão executadas pela Euterpe Maruinense, que também contará com apresentações das bandas da Polícia Militar do Estado de Sergipe e Nossa Senhora do Carmo, do município de Carmópolis (SE).

Nomes como José Joaquim de Santana, José Alfredo Meirelles dos Santos, Isaías José dos Santos, José Edno Gomes dos Santos e Genisson Carlos de Matos atuaram como maestros da Filarmônica de Maruim. Atualmente, a Euterpe é conduzida pelo maestro Beethoven Sales de Assis.

Por Ascom/Prefeitura de Maruim

Texto e foto reproduzidos do site: jornaldemaruim.com

REGISTRO - Livro “Personalidades Políticas de Canindé de São Francisco”

Escritora Egicyane Lisboa (Foto: Digitais Notícias)

Publicado originalmente no site do Jornal de Maruim, em 24/11/2015  

REGISTRO - Lançamento do livro “Personalidades Políticas de Canindé de São Francisco”

No dia 21 de novembro de 2015, às 19h na Câmara dos Vereados de Canindé de São Francisco, a jornalista e pesquisadora, Egicyane Lisboa lançou seu livro “Personalidades Políticas de Canindé de São Francisco”. O livro apresenta um pouco da biografia e trajetória política de 15 nomes (ex-prefeitos) que trabalharam para o bem comum e o desenvolvimento do Oasis do Sertão. São estes: Ananias Fernandes Santos, Manoel Feitosa Sobrinho, Francisco Machado Costa, Domingos Gerônimo dos Santos, Salomão Porfirio de Britto, Manoel Gomes Feitosa, Jorge Luiz Carvalho Santos, Francisco Alberto Fernandes Feitosa, José Francisco Nascimento, Delmiro de Miranda Britto, Hortência Carvalho, Genivaldo Galindo da Silva, Rosa Maria Fernandes Feitosa, Orlando Porto de Andrade, José Heleno da Silva.

“Personalidade Políticas de Canindé de São Francisco’ surgiu do desejo de oportunizar as futuras gerações conhecerem um pouco dos grandes nomes que marcaram a história política de Canindé de São Francisco e aos mais velhos uma forma de eternizar e resgatar tudo que viveram e presenciaram ao longo dos anos”, ressaltou a escritora Egicyane Lisboa.

Público Presente

O Lançamento do livro foi prestigiado por escritores, empresários locais, poetas, músico, violeiro e repetista, Venvém do Nordeste que abrilhantou a noite com um repente, homenageando a escritora, acadêmicos da Academia Literária do Amplo Sertão (ALAS), Presidente da Academia Gloriense de Letras, Jorge Henrique, acadêmicos da Academia Canindeense de Letras e Artes (ACLAS), vice-prefeito, Avela Feitosa, vereadores Adriano de Bomfim, Ivone Feitosa e Pank, (que na ocasião comparam livros para doação) secretária de cultura, Maria Roberlage Feitosa, familiares dos homenageados na obra e a sociedade Canindeense. A festividade contou com som acústico de Patrícia Nascimento e Victor Caetano.

Sobre a autora

Filha do casal Joaquim Antônio Tavares de Farias e Judite Lisboa Farias, Canindé do São Francisco (SERGIPE-BRASIL), nasceu dia 02 de dezembro de 1987. Pedagoga, Jornalista, mestranda em Comunicação pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), Pós-Graduada em Assessoria de Comunicação, Marketing Empresarial e Webjornalismo. Integrou a equipe de Produção e Edição para jornal laboratorial “Contexto Notícia” da UFS; Integrou a equipe Produção e edição/correção textual do Blog “Em pauta UFS”; Fotografias para Blog “Fotografia UFS”; Ex-locutora da Anchieta FM; Fez parte da Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado da Casa Civil (SECC); Já publicou matérias nos sites Digitais Notícias e Na Política; E integrou a equipe da Revista Alagoas em Foco e da Revista + Impar e apresentou o Programa Paulo Lavigne (TV Cidade e TV Aperipê). Este ano lançou o livro Unidos Pelo Amor, Abraçados Pela Fé, com seu esposo, o acadêmico Lucas Lamonier (AGL/ALAS). Participou das Antologias: I e II Encontro dos Escritores Canindeenses e Convidados (2014/2015); Antologia Poética – Prêmio Poesia Livre (2015); Antologia Literarte Celebra Sergipe (2015); Um Sertão de Escritores, uma Glória de Leitores (2015); Seleta do III Encontro Sergipano de Escritores (2015); e I Encontro de Escritores Monte-alegreses e Convidados (2015). É Membro Fundador da Academia Canindeense de Letras e Artes (ACLAS) ocupando a cadeira nº 02.

Por Assessoria

Texto e imagem reproduzidos do site: jornaldemaruim.com