quinta-feira, 13 de março de 2014

Obra resgata a história da cidade de Santo Amaro das Brotas

Publicado pela Infonet, em 07/03/2014.

Li e Recomendo – Haveres do Século XIX
A obra resgata a história da cidade de Santo Amaro das Brotas
Por Eliene Andrade.

O Li e Recomendo dessa semana traz o livro “Haveres do Século XIX”. Uma obra que resgata a história da cidade de Santo Amaro das Brotas, município Sergipano, local onde sergipanos foram vitimados com doenças e viveram em regime de escravidão no século 19.

O Portal Infonet entrevistou o autor da obra, o historiador Clóvis Bomfim, que lançou seu livro no último mês de fevereiro. O autor dedica a narrativa à história de Santo Amaro das Brotas, cidade onde nasceu, e buscou fatos verdadeiros, onde narra fatos e que revela a crueza e as mazelas de que foram protagonistas e/ou vítimas os antepassados daquela cidade.

Confira a entrevista com o autor:

Portal Infonet - Faça um breve resumo da sua obra.

Clóvis Bomfim - Inicialmente, contextualiza a proposta de estimular o prazer indelével pela leitura, assomada a uma abordagem simples e sem barroquismo, inspirado em fontes primárias para evitar indesejáveis anacronismos. O tema central vislumbra, sobretudo, o passado da cidade de Santo Amaro das Brotas, em que se contemplam os antigos habitantes viventes no século 19, dentro do panorama político, e de outras atividades no campo da saúde quando os sergipanos foram insuflados pelo contágio da varíola e acometidos pela cólera. O trabalho consiste ainda da investigação dos negócios praticados a partir do elemento escravo, vitimas de um regime ditatorial marcante no seio da sociedade brasileira. O livro revela também, na fase de 1835, o conflito entre o povo e o governo provincial, provocado pela sanção da Lei de 19 de fevereiro do mencionado ano. Apesar das recorrências, há nesse tema, detalhes inéditos da posição assumida pelo governo, dos membros da Assembleia, do representante do clero e a postura corajosa dos cidadãos humildes e da casta “santamarense”.

Infonet - O que te levou a escolher esse tema?

CB - Como é cediço, na melhor acepção da palavra, há muito que se debater e escrever sobre Santo Amaro das Brotas. Em cada trabalho foi abordado temas e eventos ocorridos em épocas bastante distintas pela relevância que representa dentro do ângulo histórico local, mesmo que se desenrole em linha isolada. No primeiro livro, por exemplo, há uma modesta observação sobre períodos como os séculos 18, em que os primeiros núcleos habitados auxiliava o regionalismo de Sergipe enquanto capitania; no ciclo de 19, amealha movimentos sociais chauvinistas com repercussão nacional, e por fim, numa mescla de episódios do recém-findo século 20.

Infonet - Seus personagens são inspirados em pessoas reais ou em fatos?

CB - As duas coisas. O livro fundamenta-se nos documentos solicitados ao Arquivo Nacional/RJ, da Fundação Biblioteca Nacional/RJ, e dos instrumentos pesquisados no Arquivo Público de Sergipe; da Fundação Pedro Calmon – Centro de Memória e Arquivo Público da Bahia, dentre outras instituições que recorri para obtenção dos relatórios produzidos pelos indivíduos tratados no livro.

Infonet - Você teve a influencia de algum escritor/livro?

CB - Sim, de vários autores e das respectivas obras. O que mais me agrada é que a maioria é sergipana. Citarei alguns nomes: Dr. Vladimir Souza Carvalho, Dr. Jorge Carvalho do Nascimento, Luís Antônio Barreto (in memoriam), Clodomir Silva (in memoriam), Profa. Maria Thetis Nunes (in memoriam), Sebrão Sobrinho (in memoriam), Orlando Vieira Dantas (in memoriam), etc. A lista é extensa. Essas personalidades se posicionaram como um farol guiando cada parágrafo escrito na imensidão da história.

Infonet - É a sua primeira obra? O que ele significa para você?

CB - Esse é o segundo trabalho publicado. O significado, é que a obra, assim espero, possa estimular novos autores. Recentemente, no final de 2013, conclui o terceiro livro. O tema destrincha lacônico, dentro de um plano real, sobre determinadas leis e decretos vigentes nos séculos 19 e 20, e os benefícios que ainda desfrutamos, cujas regras e disposições se confluem complacentes e são embrionários da Lei de nº 1.829 de 9 de setembro de 1870, é derivante desse despacho o decreto 5604/1874, e por fim, a Lei Nº 6.015, de 31 de dezembro 1973 e suas remunerações atualizadas. Atualmente estou trabalhando simultaneamente em mais duas obras, claro ambas são bem distintas. A primeira delas é relativa ao Estado de Sergipe, enquanto que a outra, apesar de retratar um fato isolado poderá, talvez, provocar dissabores.

Infonet - Você utilizou algum material como referência para escrever ou foi mesmo inspiração?

CB - Oitenta por cento da obra, sem falsa modéstia, foi compulsado nas fontes primárias, o que representa um índice muito baixo no que se refere aos diversos documentos que deveria ser examinados, entretanto, está longe de ser um trabalho perfeito e completo.

Infonet - O que você mais gosta (capítulo/história) do seu livro?

CB - O próprio livro! Ele exprime o resultado do esforço de cada profissional envolvido no projeto de edição. Isso reflete com objetividade e positivismo a importante presença da Editora Diário Oficial (Edise) e da Segrase, oferecendo aos autores sergipanos a excelência do talento dessas pessoas. Agradeço a todos, sem exceção, pelo tratamento que recebi!

Foto e texto reproduzidos do site: infonet.com.br/cultura

A obra resgata a história da cidade de Santo Amaro das Brotas.
Foto: Arquivo Pessoal. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário